Wakanda e o Afrofuturismo | Cinema + Arquitetura

Olá estranhos, estamos começando a semana com vídeo sobre cinema. Vamos falar sobre Wakanda, mas aí você pode me dizer: “Ah Kenny, ainda vamos falar de Pantera Negra?”. Bem meus queridos estranhos, sim, vamos falar um pouco sobre essa influência do afrofuturismo na construção da cidade de Wakanda.

O filme do Pantera Negra, é um ótimo exemplo da construção de uma cidade utópica carregada com várias características reais. A construção da cidade de Wakanda, tem sua origem nos traços no Jack Kirby, mas foi nas mão da Hannah Beachler, que conseguiu transformar esse universo em algo mais paupável. É ela que assina o design de produção, e trouxe várias referências, na construção das cidades africanas, o grafite, a cultura, junto com o Afrofuturismo.

Agora imagine uma viagem ao futuro, com elementos hi-tech, mas ao mesmo tempo com toques de ancestralidade. É assim o Afrofuturismo, movimento pluridisciplinar que utiliza a música, as artes plásticas, a moda, entre “otras cositas más”, e que estabelece o encontro entre a história, o resgate da mitologia e cosmologias africanas com a tecnologia, a ciência, o novo e inexplorado.

O Afrofuturismo surgiu na década de 60, em paralelo a efervescência da cultura Beatnik, que, por sinal, era forte entusiasta de ritmos afro-americanos. Um dos pioneiros do movimento afrofuturista foi o compositor de jazz, poeta e “filósofo cósmico”, Sun Ra.

Somente em 1994, o Afrofuturismo tornou-se de fato um movimento cultural, graças ao escritor americano Mark Dery , que trouxe para um ensaio batizado Black To The Future: ficção científica e cybercultura do século XX a serviço de uma apropriação imaginária da experiência e da identidade negra, a definição da estética futurista afro.

Mas se por um lado a indústria cinematográfica americana conseguiu propagar a imagem do africano como exótica, alguns artistas contemporâneos da terra do Tio Sam também ajudaram a desmistificá-las. Nomes como Outkast e Janelle Monáe conseguiram levar o conceito para o mainstream de forma bastante positiva, inserindo elementos do jazz, ficção científica e psicodelia tanto em seus trabalhos, quanto na estética:

O Diretor Ryan Coogler, fez questão de deixar bem claro seu interesse de mostrar uma História, que não fosse somente uma história, mas que tenha um grande poder de representatividade. E isso fica bem claro, no conflito central da história, e também em como ele constrói esse universo. Usou de várias referências históricas, como o caso da cidade de Okland, que foi berço do movimento do Pantera Negro, mas também local de conflitos entre negros e policiais.

Desta forma, o filme do Pantera ele leva a uma analise além da história, mas com todo o contexto e valorizando desta cultura, que realmente tem que ser estudado. Mais uma vez afirmo, que o filme é o melhor filme da marvel até então. Espero muito que gostem do vídeo, deixem seu recado, o seu like e se inscrevam no canal. Um grande abraço e Vamos Criar.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s